Arte: Rômulo Ferreira

Mostra “Afasta de mim esse Cálice”

A mostra de cinema “Afasta de mim esse Cálice” faz referência, em seu título, à canção Cálice, composta em 1973 por Chico Buarque e Gilberto Gil. Esta canção, que foi censurada pela Ditadura Civil-Militar (1964-1985), por seu turno, faz referência a oração proferida por Cristo no Monte das Oliveiras. 

É importante destacar que, no contexto bíblico, a palavra “cálice” é, muitas vezes, empregada em um sentido figurado. Na referida oração, “tomar um cálice” significava aceitar sacrificar-se para purgar os pecados de toda a humanidade (ou por se opor à dominação romana), sendo perseguido, torturado e morto na cruz. 

Na canção de Chico e Gil, a palavra “cálice” ganha outro sentido, assumindo a forma velada de “cale-se” e, desse modo, conseguindo driblar os órgãos de censura para fazer passar sua crítica à repressão que vigorava naquele tenebroso período de nossa história. Negar o “cale-se” significava denunciar a opressão, mesmo que isso implicasse em sacrificar-se, sendo vítima de perseguição, tortura e morte pelos agentes repressivos.

Em suma, se no primeiro caso, aceitar o “cálice” era metáfora para aderir a uma causa maior, sacrificando-se; no segundo caso, rejeitar o “cale-se” servia, num outro contexto, de metáfora para a mesma escolha.

Desse modo, o objetivo da mostra é, por meio de filmes cuidadosamente selecionados, proporcionar uma discussão e uma reflexão sobre as diferentes formas de censura e de repressão ao longo da história, de modo a, também, conscientizar para evitar que a história de repita, seja com farsa, seja como tragédia.

Por Leandro Andrade Cardoso, curador da Mostra.

 

Compartilhe em:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.